Isabela Isla - Galápagos

Isabela Isla (Galápagos) e sua exuberante natureza


HISTÓRIA

A Ilha Isabela em forma de cavalo-marinho foi originalmente chamada Albemarle Island em homenagem ao Duque de Albemarle por Ambrose Cowley, um dos primeiros homens a chegar ao arquipélago, em 1684. É a maior de todas as ilhas do arquipélago, medindo 120 km de comprimento sendo maior em tamanho do que todas as outras ilhas juntas.


O Tejo Cove no lado noroeste da ilha foi uma ancoragem de piratas, corsários, baleeiros, e outros. Darwin visitou o Tejo Cove em 1835. Em 1893, Antônio Gil, um conhecido guayaquileño, chegou a Galápagos e depois de visitar as outras ilhas, colonizaram o sul da Isabela, fundando a cidade de Puerto Villamil, na costa sul e mais tarde a de Santa Tomás nas terras altas. Ele nomeou Villamil em homenagem ao combatente da liberdade de Guayaquil, José de Villamil.


Villamil começou como um centro para uma operação de produção de cal onde queimavam coral recolhidos nas águas costeiras. Santa Tomás era o centro de uma mina de enxofre na caldeira e uma plantação de café nas proximidades. Os empreendimentos foram pouco rentáveis ​​devido a limitações de água. Em 1906, Santa Tomás tinha uma população de 200 pessoas que dependiam principalmente no gado selvagem variando as encostas da Serra Negra e na exploração de enxofre. Em 1974 havia cerca de 450 residentes em Isabela. Este número foi aumentando em cada censo oficial, com o total no censo de 2006 atingindo 1.749 pessoas.


Iguana gigante em Isabela Isla

GEOLOGIA

Uma das ilhas mais jovens, Ilha Isabela foi formada pela união de seis vulcões - de norte a sul - Equador, Wolf, Darwin, Alcedo, Serra Negra, e Cerro Azul. Todos os vulcões, exceto Equador ainda estão ativos.

Isabela é uma das ilhas com mais atividades vulcânicas. Erupções foram registrados nos últimos cinquenta anos para o vulcão Lobo (1963 e 1982), Alcedo (1993), Serra Negra (1963, 1979 e 2005), e Cerro Azul (1959, 1979, 1998 e 2008). Isabela proporciona aos seus visitantes com excelentes exemplos das forças geológicas que criaram as Ilhas Galápagos, incluindo elevações em Urbina Bay, cones de tufo no Tejo Cove, e pedra-pomes no vulcão Alcedo.


Urbina Bay

HOJE

A maioria dos residentes Isabela ganham a vida com a pesca, agricultura e turismo. A maior concentração populacional está na costa sul de Puerto Villamil. Ao contrário das outras grandes ilhas, as zonas de vegetação em Isabela não seguem o padrão normal. Há relativamente novos campos de lava e os solos circundantes não desenvolveram nutrientes suficientes para apoiar as zonas de vida. Além disso, as altas elevações dos vulcões Wolf e Cerro Azul são cobertos por nuvens, resultando em uma zona árida no topo da ilha. A rica fauna da ilha é incomparável. É o lar de mais tartarugas selvagens do que todas as outras ilhas combinadas, com uma espécie separada em cada vulcão. Na costa oeste de Isabela, rica em nutrientes, atual como alimentação para peixes, baleias, golfinhos e aves. Estas águas também são muito conhecidas como “o melhor lugar para ver baleias em Galápagos”. Cerca de 16 espécies de baleias foram identificados nesta área.


Flamingos em Puerto Villamil

Cidade: Puerto Villamil

Villamil é a mais bela cidade dos Galápagos, com sua longa faixa de areia branca, praias com palmeiras e várias lagoas de água salobra frequentados por flamingos rosa e várias outras espécies de aves. A maioria dos moradores de Isabela vivem na cidade portuária de Villamil. Até recentemente, a população estava principalmente envolvida na pesca e na agricultura e tinha pouca ligação com o turismo. Na década de 1990, o desenvolvimento do turismo começou a ser tratado como opção e um pequeno aeroporto foi construído em 1996, para voos inter-ilhas.


Praia de Puerto Villamil

O número de hotéis cresceu de um único hotel, em 1980, para três em 1990, para 13 hotéis até 2006 e hoje já conta com cerca de 25.

Puerto Villamil


O número de bares e restaurantes cresceu de apenas dois em 1980 e 1990 para 18 em 2006. Hoje a ilha já possui 47 bares.

Dawntown

No entanto, a cidade ainda mantém a sua atitude relaxada em contraste com Puerto Ayora em Santa Cruz e Puerto Baquerizo Moreno em San Cristóbal.


La Laguna Hotel

Visitantes em Sierra Negra

O Vulcão Sierra Negra é um dos mais impressionantes do arquipélago. Sua caldeira mede 10 km de largura de norte a sul e 9 km de leste a oeste, e é considerada a segunda maior cratera do mundo. Visitas a Sierra Negra exigem 45 minutos de carro de Villamil, seguido por várias horas de caminhada ou passeios a cavalo. O visitante pode ver mais fácilmente o Vulcán Chico no canto nordeste da Sierra Negra. Volcán Chico é uma fissura em formato de cone que teve sua última erupção em novembro de 1979. Lá os visitantes podem caminhar sobre os fluxos de lava relativamente recentes. O lugar oferece incríveis vistas dos vulcões de Isabela, bem como Fernandina.


Sierra Negra

Visitantes nas Lagoas de Villamil, Tortoise, Muro das Lágrimas, e Tintoreras

Quatro dos locais mais visitados são facilmente acessíveis a partir de Puerto Villamil: Lagoas de Villamil, Tortoise, Muro das Lágrimas e Tintoreras. Os três primeiros são acessíveis a pé, enquanto um passeio de panga é necessária para alcançar a Tintoreras. Uma trilha vai da cidade, através das lagoas, e termina no Centro da tartaruga, a cerca de 1,5 km da cidade. A praia e lagoas perto Villamil são as melhores localidades do arquipélago para ver aves migratórias.


Lagoas de Villamil

O Centro de Tartarugas de Isabela foi concluído em 1994 e abriga tartarugas das populações do sul de Isabela, muitos dos quais sofreram níveis relativamente altos de caça furtiva nos últimos 10-20 anos. Os visitantes podem ver os dois “cativeiros” de tartarugas e os animais reprodutores mais velhos.


Tortoise

O Muro das Lágrimas é um local histórico interessante, geralmente visitada por turistas que se hospedam em Villamil por alguns dias. Ele fica a 6 km de caminhada (só ida) da cidade (é possível obter um transfer dependendo do hotel). A trilha passa pelo cemitério Villamil pouco depois de sair da cidade, com túmulos dos primeiros colonos. Na metade do caminho, a trilha passa por uma praia de areia branca com lagoas adjacentes, onde todas as quatro espécies de mangue que existem em Galápagos podem ser vistos. A trilha continua através da zona seca até chegar ao Muro das Lágrimas. A colônia penal que existia em Isabela de 1944 a 1959 ainda se faz presente lá (o Muro das Lágrimas foi construído pelos prisioneiros para mantê-los ocupados). Tendo aproximadamente de 5 a 6 metros de altura, 3 metros de largura e é de aproximadamente 100 metros de comprimento. É um testemunho de um período de crueldade e tortura.


Muro das Lágrimas

Para chegar Tintoreras, um grupo de pequenas ilhas ao largo da costa, os visitantes devem fazer um passeio de bote ou barco. A pequena baía de águas azul-turquesa completamente tranquila fornece o habitat para os leões marinhos, tartarugas marinhas, iguanas marinhas, raias e outras espécies. A baía está ligada a uma fenda rasa de água cristalina que é frequentado por tubarões. Iguanas marinhas fazem seus ninhos nesta ilhota e tubarões podem ser avistados na fenda onde eles descansam durante o dia.

Las Tintoreras

Visitantes em Elizabeth Bay e as ilhotas Mariela

Neste local o visitante fara por barco e os mergulhos são permitidos. A lagoa em Elizabeth Bay é um lugar de descanso e alimentação de tartarugas marinhas. Os manguezais que a cercam são, principalmente, os mangues vermelhos e pretos. Os visitantes também poderão ver os corvos marinhos, pinguins, pelicanos, garças reais, e outras espécies.

Elizabeth Bay

As ilhotas Marielas, são o lar de muitos pinguins e os visitantes podem geralmente observá-los tanto em terra ou nadando nas proximidades.

Ilhotas Marielas

Visitantes em Urbina Bay

Aqui os visitantes podem ter a chance de ver tartarugas gigantes, iguanas terrestres e cormorões voadoras (perto da costa). A característica mais marcante em Urbina Bay é o resultado de uma elevação da ilha em 1954, quando 6 km de extensão do recife coral foi levantado a 5 metros devido a atividade sísmica. No entanto, exposta ao ar, as pontas dos corais estão se deteriorando rapidamente.

Urbina Bay

Visitantes em Tagus Cove

O local favorito dos primeiros piratas e baleeiros, muitos destes primeiros visitantes escreveram seus nomes nas falésias ao longo da costa. O mais antigo incluem o Phoenix em 1836 e os Gênios em 1846. O nome do Tagus vem de um navio de guerra Inglês que passava pelas ilhas em 1814 à procura de tartarugas gigantes. Uma curta, caminhada íngreme passa pelo Darwin Lake, que fica dentro de um cone. Fica a cerca de 9 metros de profundidade e está sempre preenchido com água salgada. Este lugar é excelente para visualização de aves terrestres.

Tagus Cove

Punta Vicente Roca

Visitas em Punta Vicente Roca somente de barco ou mergulhando. As formações geológicas são muito impressionantes e proporcionam um belo cenário para numerosas aves, incluindo de patas azuis e atobás de Nazca, gaivotas, petréis, e Andorinhas. A água no arquipélago ocidental é fria devido à ressurgência da Corrente Cromwell do oeste, oferecendo uma fonte de alimento abundante para espécies marinhas. É comum observar "frenesis de alimentação", com grupos de baleias, golfinhos, leões marinhos, atuns e atobás de Nazca. Para o sul da enseada, há uma pequena colônia de focas.

Punta Vicente Roca

Visitantes em Albemarle Point

Albemarle Point é um local raramente visitado no extremo norte de Isabela. Durante a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos construíram uma base de radares em Albemarle Point. Os visitantes podem caminhar até as ruínas da base de radar e apreciar as iguanas marinhas na extremidade norte de Isabela. Estas são algumas das maiores do arquipélago.

Albemarle Point

Para mergulhar

Sete locais de mergulho estão localizados em torno Isabela. Estes incluem: os quatro irmãos, Tortuga Island, Urbina Bay, Tagus Cove, Punta Vicente Roca, Roca Redondo, e Cape Marshall. Muitos desses locais oferecem visualização de várias espécies de tubarões, leões marinhos, raias, moreias, tartarugas marinhas, biguás, pinguins, raias, e muitas outras espécies. Em particular, a mais interessante é a Roca Redondo, uma pequena ilha ao norte de Isabela, onde muitas espécies de tubarão pode ser avistados, bem como fumeroles de gás. Tagus Cove proporciona uma visualização dos cavalos-marinhos, esponjas, corais e outras espécies.

Focas de Galápagos

Visitas no Vulcão Alcedo

O Vulcão Alcedo está localizado no Parque Nacional de Galápagos. Até o início do Projeto, no final de 1990, ss visitantes puderam fazer a muitas horas de caminhada até a borda para ver a caldeira e experimentar as tartarugas gigantes. A maior população de tartaruga em Galápagos vivem em Alcedo. Hoje as visitas são guiadas para proteção da fauna e flora.

Visite Galápagos


Como chegar

A única forma de se chegar ao arquipélago é por via aérea. Baltra, ao norte da ilha Santa Cruz, é o principal acesso para Galápagos. As companhias aéreas que chegam à região oferecem saídas diárias de Quito e Quayaquil, ambas no Equador. A duração da viagem é de 1h30 (saindo de Guayaquil) e 3h (a partir de Quito), incluindo escala. A outra porta de entrada é por San Cristóbal.


Aeroporto de Baltra Ilha de Baltra, s/n. Tel: (593) (05) 2521-191 / 2521-187

Aeroporto de San Cristóbal Av. Alsacio Northia, s/n. Tel: (593) (05) 2520-350


Quem desembarca em Baltra deve tomar o ônibus sentido Canal (serviço gratuito oferecido pelas companhias aéreas) e depois a balsa até Santa Cruz. A travessia não dura mais do que dez minutos. Uma vez do outro lado do canal Itabaca, o passageiro deve esperar um dos ônibus públicos com destino ao terminal rodoviário de Puerto Ayora ou seguir de táxi até o centro da cidade, em um trajeto de 40 minutos. A empresa Citteg oferece saídas do aeroporto diariamente em horários predeterminados.


Os visitantes que chegam por San Cristóbal contam com um aeroporto bem próximo a Puerto Baquerizo Moreno, capital de Galápagos, onde se pode chegar com uma caminhada de 15 minutos. Os horários e dias de saída de voos e transporte terrestre podem ser modificados de acordo com a temporada, por isso recomenda-se confirmação prévia nas empresas prestadoras do serviço.


Devido aos horários reduzidos e às longas distâncias entre as ilhas, recomenda-se uma permanência mínima de uma semana para conhecer os pontos turísticos mais importantes do arquipélago. Os horários dos botes estão programados em função das chegadas dos voos provenientes do continente.


De Santa Cruz, as “fibras” (como são chamadas as embarcações marítimas entre as ilhas) saem para Isabela e San Cristóbal. Confirme com antecedência os horários e não deixe para comprar os tíquetes na hora do embarque, sobretudo em períodos de alta temporada. Para quem quiser ganhar tempo, a companhia aérea Emetebe oferece voos diários em pequenos aviões, com capacidade para até nove passageiros, unindo Baltra e Isabela (40 minutos) e a San Cristóbal (20 minutos).


Os centros urbanos das principais ilhas são bem pequenos e podem ser visitados a partir de agradáveis caminhadas pelo famoso Malecón (os calçadões a beira mar) ou ainda em bicicletas que podem ser alugadas nas ilhas.


Mas nem todas as atrações naturais do arquipélago estão em terra firme, de modo que a única saída para visitá-los é contratar os serviços de tours marinhos oferecidos pelas agências locais. Informe-se também da necessidade de contratação de guias credenciados para o acesso a alguns setores do Parque Nacional Galápagos.


Navios costumam oferecer saídas semanais com diferentes roteiros e tempo de duração, mas devem ser descartados pelos viajantes que queiram maior tempo de contato, em terra ou no mar, com a fauna e flora exóticas de Galápagos.


Cooperativa de Transportes Expreso Galápagos Citteg Gral. Rodriguez Lara 0 Y Isla Duncan – Puerto Ayora - Galápagos Tel: 05-2526232 Emetebe www.emetebe.com.ec


Galápagos

Qual a melhor época para ir?

Galápagos é um daqueles destinos que pode ser visitado durante o ano todo. O que vai definir o melhor período são as preferências pessoais do viajante quanto às condições climáticas e também as expectativas com relação aos eventos naturais que pretende vivenciar.


O clima apresenta grandes variações. As duas estações marcantes são o verão e o inverno. O verão (de dezembro a junho) é bastante quente, com temperaturas em torno de 30 graus, e úmido, podendo ter chuvas diárias, porém passageiras, predominando os dias ensolarados. O inverno (de junho a novembro) traz ventos gelados, geralmente acompanhados de uma leve garoa. A média de temperatura fica na casa dos 24 graus durante o dia, com a temperatura baixando com a chegada da noite.


O período mais agradável para os passeios vai de dezembro a maio, quando o mar está mais calmo e as temperaturas mais mornas. Os meses de junho a agosto são populares entre os naturalistas, pois os animais estão mais ativos. E para os mergulhadores, a temporada vai de julho a novembro, quando é possível observar melhor as espécies marinhas.


O que define os períodos de alta temporada, entretanto, são as férias nos Estados Unidos e Europa, regiões de origem da maioria de turistas. A alta temporada ocorre entre junho e setembro e nos meses de dezembro e janeiro.


Informações úteis

Sites de turismo do país: www.ecuador.travel Site da Câmara de Turismo de Galápagos: www.galapagostour.org Site do Parque Nacional de Galápagos: www.galapagospark.org



"Às vezes o que falta para alguém viajar é uma boa dica e uma boa história"

www.malaparadois.com - Dicas de Viagens & Lifestyle em um único site!


  • Wix Facebook page
  • Facebook-Icon.png
  • Google+ Preto Redonda
  • Wix Twitter page
  • Facebook Orange Gumdrop
  • YouTube App Icon
  • Instagram App Icon
  • Pinterest App Icon
  • Google+ App Icon
  • Vimeo App Icon
  • Flickr App Icon
  • Tumblr App Ícone
  • Catraca Livre.png
  • WhatsApp.jpg