Itinerário de sete dias com o carro pela Ligúria

A Ligúria é uma região de múltiplas faces, diversas mas indissoluvelmente unidas entre elss para oferecer um rico panorama de oportunidade para quem escolher essa terra para passar as férias. Natureza, mar, montanha, cultura mas também diversão e vida noturna, será difícil escolher.


O grande recurso da Ligúria como parece óbvio é o mar, com as duas costas rochosas interrompidas por pequenas enseadas onde encontramos graciosas praias de areis fina. Ao longo desse território, espetacular pela beleza das paisagens terrestres e marítimas, se encontram as mais famosas localidades turísticas da Ligúria, como Portofino, Santa Margherita Ligure, Rapallo, Sestri Levante, com a sua encantadora Baía do Silencio e tantas outras.


Uma sucessão de amplas praias, marinas e cenários todos para explorar que, à noite, deixam espaço para a diversão e para as compras. A Ligúria é uma região pequena mas fascinante. Mesmo sendo uma pequena faixa de terra, estão presentes tanto altas montanhas quando amplas praias com águas cristalinas, quais são os lugares mais bonitos para visitar? Bom, no nosso itinerário de sete dias com o carro, tentaremos visitar alguns. Então não nos resta outra coisa que iniciar a nossa viagem à descoberta da maravilhosa Ligúria.


Portofino


1) Primeiro Dia.

A nossa viagem deve iniciar com a principal cidade. Gênova é, de fato, uma cidade cheia de atrações.

Chegamos ao aeroporto de Gênova de manhã e logo alugamos um carro para iniciar a nossa viagem para conhecer a cidade de Gênova.

Começamos pelo aquário de Gênova, ao Bingo, a Galata Museu até a divertida Cidade das Crianças, o lugar ideal para levar os filhos. De inestimável beleza é também o centro histórico, um dos maiores e mais conservados da Europa. Entre os lugares de maior interesse devem ser lembrados: a Catedral de na Lorenzo, o Palácio Ducal e o Sistema dos Palácios dos Rolos. Uma cidade, onde a cultura, os lugares, a cozinha e os edifícios nos mostra ainda hoje a importância da antiga República marítima. Uma atmosfera que ainda se respira passeando entre os “carruggi”, estreitos becos que desenham a parte antiga de Gênova. Depois de conhecer a cidade, merecemos uma boa janta, saboreando os produtos locais e depois, cama.

2) Segundo dia.

Depois de um bom café da manhã, vamos a Camogli, conhecida como a cidade dos apaixonados.

Camogli é uma antiga aldeia marítima, quase intacta, com uma vista impressionante caminhamos através do arejado beira-mar, onde podemos admirar a elegante praça com as altas casas coloridas e decoradas, realmente emocionantes, o labirinto de ruas e becos (chamados de “carruggi”), o típico e sempre ativo porto turístico, o pesqueiro e os numerosos monumentos e museus, ricos de história e de arte. Entre os lugares imperdíveis, visitamos o poderoso Castel Dragone, do século XII, a adjacente e sumptuosa Basílica de Santa Maria Assunta, com o característico sagrado realizado com a técnica de “risseu”, ou seja, pedras brancas e cinzas recolhidas na praia e cuidadosamente colocadas formando desenhos e figuras geométricas. Em seguida, vamos desfrutar de um ótimo jantar e vamos em frente para fazer um bom sono.

3) Terceiro Dia.

Depois de um potente café da manhã, deixamos Camogli para visitar a abadia de San Fruttuoso onde reservaremos um hotel fazenda. Entre as cidadezinhas ricas de surpresas, merece ser visitada e citada San Fruttuoso, uma pequena aldeia imersa no verde e que hospeda a adabia de Capodimonte.

Aqui é possível desenvolver atividades recreativas como o jogging, trekking e excursões e para os amantes da história da arte é possível admirar os bens tutelados do Fai (Fundo Ambiente Italiano). Depois de visitar a abadia, dedicaremos toda a tarde com atividades esportivas com estreito contato com esses maravilhosos cenários, e a noite nós nos deliciaremos com uma ótima janta a base de produtos típicos do lugar, no hotel fazenda a poucos quilômetros de Santa Margherita Ligure, onde reservaremos para dois dias.

Liguria - Cinque Terre

4) Quarto dia.

Deixamos o hotel fazenda, sempre depois de ter feito um gostoso café da manhã, para ir a Portofino. Nos aconselharam de estacionar o carro em Santa Margherita Ligure, que fica a 4 km de Portofino, onde os estacionamentos são poucos e caros. Então descemos há uns dez minutos de onde partem as balsas (a propósito o escritório de turismo é na Praça Vittorio Veneto), e como nos aconselharam, pegamos a balsa que nos levou em quinze minutos a Portofino, partem de duas em duas horas, custa ida e volta 8,50 euros por pessoa (querendo pode escolher ir também para outras cidades), tem também o ônibus, mas a beleza da navegação e a chegada ao porto de Portofino é muito mais agradável.

Assim que desembarcamos, fomos primeiro na graciosa igreja da cidade, e logo depois na famosa praça, percorremos algumas pequenas ruas principais, pegamos uma trilha panorâmica para o Castelo Brown e fomos em direção ao Faro, repleto de cafés de luxo para ir no final da tarde, ver o pôr do sol e relaxar com um cocktail e gostosos aperitivos. Depois de terminar o passeio, nos despedimos da graciosa praça e pegamos a balsa para Santa Margherita para tornar ao hotel fazenda, onde jantaremos e reservamos para a segunda noite.

5) Quinto Dia.

Depois de um bom café da manhã, continuamos nosso passeio pela região e vamos para lugares lindos, me refiro às míticas Cinco Terras, aqui naturalmente ficaremos dois dias. Para comodidade de locomoção, deixaremos o carro em Portovenere, lindo lugar que visitaremos no último dia. Chegaremos nesse esplêndido parque das Cinco Terras, em Portovenere com a balsa.

Uma característica única são os tantos quilômetros de muros de pedra e terraços cultivados em parafuso, de onde se produz o renomado vinho as Cinco Terras, o Sciacchetrà, mas acima de tudo as cinco cidadezinhas meridionais que permaneceram como eram antes: Monterosso, Vernazza, Riomaggiore, Corniglia e Manarola.

Nós hoje cisitaremos Monterosso e Vernazza. Começamos por Monterosso localizada perto das típicas plantações de videiras e oliveiras. Além da magnífica vegetação, são dignas de serem notadas as suas estupendas praias, os maravilhosos penhascos e as águas cristalinas do mar.

A aldeia é dividida em duas partes marcadas pela torre medieval Aurora. A parte antiga é a mais característica, aqui visitamos a igreja de S. Francesco, onde estão guardadas obras de notável importância como a crucificação de Van Dick. Continuando sempre a pé na colina encontramos o Santuário de 1700 de Soviore. A estrutura das casas na parte antiga á a torre, com as casas divididas entre eles por becos e vielas e passear por eles foi realmente emocionante. Completamente diferente á a parte nova, muito focada no turismo e rica de hotéis e restaurantes. Depois uma pequena parada para comer algo rapidinho e vamos à Vernazza onde faremos a reserva do hotel.

A existência de tantos elementos arquitetônicos apreciados, como lógias, varandas e portais, nos leva a pensar que Vernazza era socialmente e economicamente superior em relação aos outros centros das Cinco Terras. Única e muito sugestiva é a mancha mediterrânea que atravessamos sempre a pé, para não perder esse encanto natural, entre azinheiras, medronheiras, giestas e juniperus. A esse ponto não nos resta outra coisa que parar em um local típico para um bom jantar e depois repousar, amanha será outro dia cheio e intenso sob todos os pontos de vista.

Liguria - Cinque Terre

6) Sexto dia.

Depois de tomar um abundante café da manhã, ficamos ainda nas Cinco Terras, para terminar essa maravilhosa volta. De fato, hoje será a vez de Riomaggiore, Corniglia e Manarola. Começamos com Riomaggiore. A cidade se encontra no rio Riomarior e tem uma estrutura medieval com várias casas-torre que se estendem mais na altura que na largura e são dispostas de maneira paralela, intercaladas por um infinito labirinto de vielas. Muito bonita é também a igreja paroquial, dedicada a San Giovanni Battista, construída em torno de 1340.

Muito diferente é a Via dell’Amore, um trilha escavado na dura rocha que serpenteia ao longo da costa de frente ao mar, com um panorama inesquecível, roubou nossos corações, realmente sensacional. Particularmente fascinante são também os vários tipos de vegetação que podemos admirar durante esse passeio como: agave, figos, matthiola incana, ruta e tantos outros. A trilha depois liga Riomaggiore com Manarola, a cidade sucessiva (20 minutos aproximadamente em planície) que iremos visitar. A aldeia de Manarola tem origens muito antigas.

Único é o porto, que fica protegido por uma garganta fechada entre dois afloramentos rochosos. Prosseguindo chegamos à parte mais alta da habitação, onde se encontra uma praça em torno a qual surge o Oratório, o campanário e a igreja de San Lorenzo, construída no estilo gótico em 1338. Depois de quinze minutos caminhando pelos velhos muleteiros encontramos a cidadezinha de Corniglia, e PE também a ultima cidade que resta para ver.

A aldeia de Corniglia se diferencia notavelmente das outras aldeias das Cinco Terras pela sua posição elevada em relação ao mar. Surge, de fato, sobre um promontório, um terraço marinho, alto uns cem metros, que precipita íngreme e inacessível com vista para o mar, e apresenta uma tipologia urbana mais parecida com aquela dos núcleos rurais do interior, sendo muito concentrada na produção agrícola.

A estrutura urbanística de Corniglia apresenta características originais em relação àquelas das outras aldeias, as casas são mais baixas, aumentadas são recentemente, mais parecidas àquelas das aldeias do interior. A cidade se desenvolve ao longo da estrada principal, via Fieschi, as casas de um lado ficam de frente à rua e do outro olham o mar. A única cidade que não tem porto de mar. Também essa pequena aldeia nos emocionou, depois de tanto caminho merecemos uma ótima janta e logo depois dormir.

7) Chegamos ao último dia, visitaremos Portovenere, outro esplendido lugar da Ligúria, situado de frente à ilha de Palmaria e Lerici com o imponente castelo medieval, suas elegantes vilas e os seus orgulhosos jardins. Passeando em Portovenere, notamos que tem um mar tão lindo que atrai numerosos exemplares de corças, baleias e golfinhos, não é por acaso que essa área foi definida como “Santuário dos Cetáceos”, de fato, aqui encontraram o seu habitat natural, onde viver em total segurança.

Esse esplendido centro turístico da Ligúria oferece paisagens encantadoras, mar transparente e atrações culturais, que vimos em parte, um dia não é suficiente. Essa antiga aldeia de pescadores, com as casas coloridas, uma grudada na outra, é outra maravilha dessa terra.

Liguria

Conclusões

A Ligúria é um espetáculo a céu aberto, uma região mágica dos mil contrastes, que se alternam majestosos relevos e lindas prainhas, pequenas capelas e majestosas catedrais. As rochas, vales, RUSCELLI e lagos compõe um lindo quadro natural oferecido do ENTROTERRA lígure.

Cinque Terre

Como Chegar

É fácil de chegar à Ligúria com qualquer meio de transporte.

De avião:

A Ligúria tem três aeroportos: dois civis, em Gênova e em Villanova d’Albenga, e um militar em Luni.

A escala internacional “Critoforo Colombo”, em Gênova Sestri é o aeroporto central, distante somente seis quilômetros do centro da cidade.

O aeroporto internacional de Villanova d’Albenga se localiza a poucos quilômetros das mais importantes localidades turísticas da Riviera di Potente e da Costa Azul.

O terceiro aeroporto se encontra em Luni. É uma estrutura militar aberta para o trafego civil, consentido somente para atividade turística.

De trem:

As comunicações ferroviárias seguem o desenho principal das autoestradas. A linha Ventimiglia-La Spezia recolhe viajantes da Itália setentrional e coloca na diretriz tirrenica para Roma, Nápoles e o sul. A Ligúria possui as principais linhas de percursos internacionais. As ligações rápidas são garantidas pelos

[ comboios TEE, Eurocity, Intercity e das coincidências para todas as proveniências.

De carro:

A Ligúria é fácil de ser acessada e percorrida com o carro, moto ou motorhome, porque é dotada de uma importante rede viária.

Os portos da Ligúria:

O porto de Gênova é o mais importante terminal marítimo mediterrâneo e transatlântico para passageiros e mercadorias. São garantidos frequentes conexões em rotas nacionais e mediterrâneas também com as balsas para o transporte de carros na Sardenha, Sicília e Corsica. Linhas regulares vão aos portos de La Spezia, Savona e Imperia e os portos turísticos menores consentem a atracação das embarcações de todas as toneladas.

Matéria:

Ana Patrícia

Blog: Viajando pela Calábria

Ana Patricia, ítalo-brasileira, vive há 12 anos na Itália, formada em Scienze del turismo pela Universidade da Calábria, com mestrado em Turismo Cultural, única guia de turismo em língua portuguesa da Calábria, administradora dos site Touristico.It e Viajando para a Calabria.


  • Wix Facebook page
  • Facebook-Icon.png
  • Google+ Preto Redonda
  • Wix Twitter page
  • Facebook Orange Gumdrop
  • YouTube App Icon
  • Instagram App Icon
  • Pinterest App Icon
  • Google+ App Icon
  • Vimeo App Icon
  • Flickr App Icon
  • Tumblr App Ícone
  • Catraca Livre.png
  • WhatsApp.jpg