Será que a cidade quando se torna muito “turística é prejudicial” para seus moradores?