Moscou
Dicas & Tips

Moscou já foi considerada a capital do maior império no século XX. Como assim? A Antiga União das Republicas Socialistas Soviéticas não era imperialista, era Presidencialista! Pois é, politicamente sim, mas na realidade todo o poder era induzido pelo seu presidente e ainda continua sendo. E isso não é imperialismo?

Brincadeiras e metáforas à parte, Moscou é linda e surpreendente. Moscou impressiona e conquista fácil, fácil. Com seu passado glorioso, seu presente nem tão glorioso assim, as histórias dos czares, as paixões dos escritores, as igrejas, os museus, os restaurantes badalados, a Praça Vermelha, arquitetura, belas estações de metrô para curtir sem pressa, as marcas do Comunismo, o Kremlin... A beleza de Moscou é imponente, dinâmica e cosmopolita. Tem tanta coisa para curtir em Moscou que tentaremos dar uma ajuda aos nossos leitores.

 

#moscou

Alguns cuidados

 

Antes de pensar em ir para a Rússia pesquise bem. A Rússia não está nem aí para os turistas.

 

A dificuldade de visto é uma das maiores que tenho conhecimento. Nem para os Estados Unidos é tão difícil conseguir visto. Procure a embaixada, consulados, dicas de quem já foi

 

(um bom artigo sobre Moscou você encontra em http://drieverywhere.net/categoria/viagens/russia/moscou/)

 

Para maiores informações veja também: http://www.visatorussia.com/

Lembrete

1 - O visto tem prazo de validade. Se pedir para 5 dias não poderá ficar no país o sexto dia.

2 - O turista pego na Rússia sem autorização vai prezo na hora! lembre-se nosso país não tem tratado com os Russos.

3 - O idioma é dificílimo! As estações de metrô não possuem tradução para o inglês, por tanto se perder é fácil fácil.

4 - Evite bairros distantes como Zelenograd, Koptevo e Kosino-Uhtomskii, são perigosos demais, Moscou como toda cidade cosmopolita tem seus problemas.

5 - Evite o inverno Russo na sua alta temporada. Em Moscou as temperaturas podem variar de -11°C a no máximo -3°C. O melhor mês para visitar é julho (verão) com temperaturas entre 14°C e 23°C.

#moscou

Moscou, por Sérgio Marques da SM Fotografia Digital

Está é uma matéria cedida e com impressões particulares do nosso colaborador. O malaparadois não expôs nenhuma impressão sobre Moscou e as fotos aqui expostas são de responsabilidade de Sérgio Marques.

 

A Praça Vermelha

 

A Praça Vermelha é o cartão postal mais bonito de Moscou. É a praça mais famosa, conhecida pelos desfiles militares soviéticos durante a era da União Soviética, e onde acontecem shows atuais.

 

A praça separa a cidadela real, conhecida como Kremlin, do bairro histórico de Kitay-gorod. Como as grandes ruas de Moscou partem da praça em várias direções, prolongando-se em rodovias para fora da cidade, a Praça Vermelha pode ser considerada como a praça central de Moscou e de toda a Rússia.

 

O nome de Praça Vermelha não deriva da cor dos tijolos ao seu redor, nem da associação da cor vermelha ao comunismo; na verdade, o nome surgiu porque a palavra russa красная (krasnaya) pode significar tanto "vermelho" como "bonito". A palavra foi empregada originalmente (com o sentido de "bonito") devido a Catedral de São Basílio, e foi mais tarde transferida à praça.

A Praça Vermelha à noite também é um show à parte!

#moscou
#moscou

O Kremlin 

 

É a fortaleza situada no centro da cidade e que serve de sede do governo da Rússia. Ocupa cerca de 30 hectares e contém vários monumentos no seu interior. Em 1156, Yuri Dolgoruky, o fundador de Moscou, ordenou sua  construção no monte Borovitsky, com fosso ao redor para proteção.

 

Nos anos que se seguiram foi sendo sucessivamente alargado e um segundo fosso foi construído. Em 1339, foram  construídas paredes e as primeiras torres do Kremlin. Em 1367 Dmitry Donskoi reconstruiu o Kremlin em pedra calcária, o que deu a Moscou o nome de cidade branca. Este Kremlin era quase tão grande quanto o atual. Durante o governo de Ivan III, em 1495, foram construídos os muros e torres atuais e muitas das igrejas e palácios. Ivan III mandou construir uma praça em frente do Kremlin, hoje chamada Praça Vermelha, para evitar que os inimigos pudessem aproximar-se da fortaleza sem serem vistos. No século XVII as torres foram ornamentadas com as cúpulas atuais e a muralha do Kremlin com 20 torres, das quais a principal é a Torre do Salvador (ou Torre Spasskaya).

 

Suas torres tem nomes: Em sentido horário seguem as torres do Senado; São Nicolau, Arsenal do Canto, Arsenal do Meio, Trindade, Comandante, Armaria, Borovitskaya, Água, Anunciação, Segredo, duas torres sem nome, Beklemishev, São Constantino e Santa Helena, Alarme e finalmente a Torre do Czar.

#moscou

Armeria

 

É o maior e mais antigo museu (1951) de arte aplicada e decorativa da Rússia, conhecido mundialmente pelas beleza e riquezas, como os tesouros dos Czares, carruagens e tronos, coleções raríssimas de artigos de ouro e prata do séc. XII ao XIX, armamentos dos soldados russos do século XII, XVI.

 

No mesmo edifício está a exposição estatal permanente do Fundo dos Diamantes, com peças belíssimas e valiosas de joalharia artesanal, as coroas, jóias pessoais, relíquias dos czares e raras gemas preciosas, imperdível.

 

Lembrete: São dois ingressos distintos e não se pode fotografar ou filmar lá dentro.

 

 

A Catedral de São Basílio

 

Muito falam que a Praça Vermelha é o cartão postal de Moscou, mas a catedral ortodoxa russa de São Basílio é conhecida em qualquer parte sem pestanejar!

 

Maravilhosa, erguida na  Praça Vermelha em Moscou, entre 1555 e 1561 e construída sob a ordem de Ivã IV da Rússia, para comemorar a captura de Kazan e Astrakhan, marca o centro geométrico da cidade e o centro do seu crescimento, desde o século XIV. Foi o edifício mais alto de Moscou até a conclusão do Campanário de Ivã, o Grande, em 1600.

 

Suas cúpulas segue o estilo bizantino que surpreende pela sua imprevisibilidade, complexidade e beleza. A Catedral de São Basílio por si só já valeria a viagem a Moscou.

#moscou

Portão da Ressurreição   

 

O portão com duas torres vermelhas e cúpulas verdes, é a entrada para a Praça Vermelha. Está é uma cópia do original (1680) demolido na década de 30. Nele existe uma capela pequenina dedicada a Virgem Iveriana, do séc.  XVIII, rota do czar quando chegava à Moscou, antes de adentrar no Kremlin. 

#moscou
#moscou
#moscou

Museu Histórico Nacional  

 

É o maior museu histórico nacional da Rússia, com enorme acervo da história da Rússia, desde a época peleolítica até os dias atuais.

Sua construção levou 6 anos e em 1894 o museu tinha o nome Museu Histórico Imperial Russo de Aleksandr III, depois da revolução socialista, o nome oficial do museu foi mudado para Museu Estatal Histórico Russo e a depois de  fevereiro de 1921, Museu Histórico Estatal. Está localizado na Praça Vermelha.

Teatro Bolshoi 

 

O Teatro Bolshoi é um edifício histórico da cidade de Moscou. Foi projetado pelo arquiteto Joseph Bové  (Osip Ivanovich Bové) para abrigar espetáculos de ópera e ballet. É sede da Academia Estatal de Coreografia de Moscou, também conhecida como Academia de Balé Bolshoi, ou simplesmente Balé Bolshoi, sendo uma das mais antigas e prestigiosas companhias de dança do mundo.

Todo o mundo conhece sua fama e todos que amam balé querem poder estar em uma das suas apresentações. Mas em Moscou isso é um privilégio para poucos. Veja as datas de apresentações, pois os ingressos para são caros, por volta de 250 euros e, é praticamente impossível comprar ingressos pelo site. Sendo turista então... o melhor é solicitar através de agencias ou guias. Você também pode ver o balé em outras localidades, inclusive nas apresentações mundiais, mas não deve ser a mesma coisa correto?

 

Museu  Pushkin de Belas Artes

 

O Museu Estatal Pushkin de Belas Artes é o maior museu de Moscou dedicado à arte européia, e um dos maiores do mundo neste gênero. Seu acervo conta com mais de 500 mil obras de arte, entre pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, artes decorativas, arqueologia, fotografia e numismática. Também possui um Arquivo Documental com papéis científicos, históricos e epistolares.

 

Mosteiro da Donzelas   

 

Monastério Novodevichy, mais conhecido como Mosteiro das Donzelas, começou a ser construído por Vasily III em 1524 para comemorar a retomada de Smolensk dos lituanos em 1514.

A catedral principal do convento foi consagrada em honra do Ícone Smolenskaya. De longe, o complexo à beira do lago que impressiona com suas cúpulas coloridas e e pelo alto muro branco com torres vermelhas. No centro ficam a Catedral da Virgem de Smolensky, a Igreja da Assunção anexa ao refeitório e a Torre do Sino, próximos aos muros está o Palácio de Irina Gudunova (viúva do czar Fyodor I), o prédio das freiras, a casa dos guardas, o Palácio de Lopukhin (onde morou a mulher de Pedro, o Grande), um hospital e um cemitério onde estão sepultadas algumas figuras importantes da história russa.

#moscou
#moscou

Estações  de  Metrô

 

As estações de metrô de Moscou são verdadeiros museus! São ricas em sua arquitetura, com belos lustres, esculturas, afrescos e pinturas maravilhosas.

 

Construídas na época do Comunismo são bem marcantes, com esculturas agressivas de soldados com armas, cachorros (Para dar sorte é obrigatório passar a mão no focinho do cachorro, os russos são bem supersticiosos).

 

São 182 estações, vale a pena dar uma circulada para conhecer, mas cuidado para não se perder e cuidado para não se afastar muito no final da tarde e início da noite!

As estações mais bem decoradas são Komsomolskaya e Novoslobodskaya na linha circular, Kropotkinskaya na linha vermelha, e Mayakovskaya na linha verde (aprecie os mosaicos no teto). Esta última é uma das mais profundas; foi usada para uma festa do Partido, comemorando o aniversário da Revolução, durante os bombardeios nazistas no inverno de 1941. O Metro é relativamente seguro, mas existem batedores de carteira, como em todo lugar com muita gente concentrada. Furtos de celulares são muito comuns. Tome precauções normais à noite, quando ficar mais vazio e nunca deixe suas bolsas largadas nos assentos e bancos. Quando anoitecer lembre-se de estar o mais próximo do centro (Praça Vermelha).

#moscou

Tverskaya

 

É a principal avenida de Moscou, a apenas uma curta caminhada do Kremlin, da Praça Vermelha, do Teatro Bolshoi de outros pontos históricos. Antigamente usada pelos czares como saída oficial para São Petersburgo, e hoje em dia é a principal rua comercial de Moscou com shoppings, restaurantes e hotéis, está entre as 10 ruas mais valorizadas do mundo. Para atravessá-la há passagens subterrâneas com lojinhas e escadarias. Na época em que Moscou foi reconstruída por Stalin muitos prédios foram postos abaixo para que a rua fosse alargada, mas muitas construções do período pré-revolucionário ainda se encontram em pé para contar história.

 

Rua Arbat

 

Arbat foi o lugar onde os comerciantes viveram até ao fim do séc. XVIII, depois substituídos pelos nobres. Em meados do séc. XIX   transformou-se no lugar de prestígio e na moda.  No século XIX era ponto de encontro de músicos, artistas e poetas russos, inclusive tiveram suas casas preservadas como museus, como Alexander Pushkin, Sergey Rakhmaninov, Alexander Skryabin, Nikolay Gogol, Lev Tolstoy, Mikhail Saltikov-Shchedrin, Anton Chekhov, e Alexander Block.

Rua Arbat é uma rua de pedestres cheia de lojinhas de souvenires, inclusive as famosas "matrioshkas". Tem cafés, fast food's (McDonald´s) e muitos restaurantes. É a melhor pedida para os turistas.

#moscou
#moscou

Catedral de Cristo, o Salvador 

 

A Catedral de Cristo, o Salvador, com cinco cúpulas douradas, é a mais alta Igreja Ortodoxa do mundo, com 105m, altura de um prédio de 20 andares, com capacidade para 15 mil pessoas. Foi construída em 1860 por ordem de Alexandre I e levou mais de 20 anos para ficar pronta. Em 1933, foi bombardeada por ser símbolo do Império Czarista e quase totalmente destruída. Depois de passar por restauração, foi reaberta em 1997. Não é permitido fotografar no interior da igreja e não é permitido entrar de shorts ou bermudas, e é recomendável levar um lenço ou pashmina para cobrir decotes, ombros ou cabeça. Está localizada à margem do rio Moscova, próxima à Praça Vermelha.

#moscou

Monastério de São Sérgio

 

Não é a toa que nosso colaborador insistiu em colocarmos este monastério! (olha o nome). Brincadeiras à parte O monastério é uma construção do séc. XIV. É o Mosteiro da Santíssima Trindade, o mais importante comparado com o Vaticano, onde são escolhidos os Patriarcas (papas da igreja ortodoxa). Merece ser visitado pelos turistas. O monastério é famoso pelo conjunto arquitetônico sacro da Trindade, com a Catedral da Assunção (1550-1585), de cúpulas azuis. Foi tombado pela UNESCO, como Patrimônio da Humanidade em 1993.

#moscou

Ovos Fabergé

 

O mundo todo conhece os Ovos Fabergé. Começaram a ser produzidos em 1885, a pedido do czar Alexandre III, para presentear sua mulher na Páscoa, com uma jóia especial. Então, o ourives Peter Carl Fabergé criou um belo exemplar e fez o maior sucesso, com a surpresa, que faz lembrar uma matrioshka.

Ao abrir o ovo esmaltado, dentro havia uma galinha, feita em ouro e pedras preciosas delicadamente incrustadas e virou uma tradição em toda a Rússia.

69 ovos foram produzidos para os czares e alguns outros para colecionadores. Hoje 61 deles estão em museus importantes espalhados pelo mundo, como no Metropolitan Museum of Art em NY, também os adquiridos pela Rainha Elizabeth II na Inglaterra, entre outros. O Palácio do Arsenal do Kremlin tem 10 ovos belíssimos. E, atualmente, as réplicas são vendidas em qualquer loja de souvenir na Rússia em enfeites, pingentes, brincos...

#moscou

A noite de Moscou

 

Se você estiver acompanhado(a) a indicação de nosso colaborador é para ir aos bons restaurantes na cidade.

 

O Cafe Pushkin, na Tverskoy bulvar, 26A, Moscou 103009, tem tradição e é lindo, além de servir o melhor da gastronomia moscovita e russa. Os preços começam em torno de US$ 50 e não param de subir.

 

O Turandot, na Tverskoy blvd., 26/3, Moscou 125009, é outro bom restaurante para casais. A casa serve o melhor da gastronomia européia e asiática. Os preços começam em torno de US$ 35 e vão até uns US$ 500.

 

Mas se você for baladeiro(a), solteiro(a)... A diversão é em outra área! Regado a Vodca, as boates de Moscou apresenta muita gente bonita e elegante. Mas vale ressaltar que a Night Moscovita é para solteiros!

 

Muita mulher bonita literalmente se jogando! Isso mesmo. Por isso nosso colaborador Sergio Marques indica a "night" para solteiros. O Club Rai (RAÑ em russo) é uma boa indicação. Também tem Soho Rooms, mas este é para poucos, por ser caro demais e estar sempre repleto de celebridades russas.

 

O Club Rai, que está localizado na Club Rai Ul. Marsh Embankment, 9 (Tel.: 7 (495) 364-0101) geralmente fica com uma fila enorme de mulheres lindas para chamar a atenção dos turistas. Possui um sinuoso balcão no bar onde as mulheres dançam, bebem, trocam segredos, carícias entre si e muito mais. Possui gaiolas das gogo girls, assim como as cubas gigantes de plástico transparente, nas quais são despejados litros e litros de água para até três mulheres sem roupa nadarem juntas, suspensas no ar. Isso mesmo! Nuas em pele. Possui também uma piscina em formato de estrela e coberta de mosaicos, aberta aos clientes que queiram se refrescar (acredite, tem gente que cai na água!). Sexta e sábados a pista fica lotada. Se você tem algum pudor, não vá! As pessoas dançam na pista quase nus e as vezes as mulheres tiram toda a roupa. Possui um Hall, chamado de Elysium, de três andares, onde assiste-se a vários shows. O lounge, é o local para experimentar o drinque mais popular do Rai: uísque-cola, custa 550 rublos (US$ 18). Um shot de vodca é mais barato: 200 rublos (US$ 6,5).

 

Outra indicação é o Rolling Stone Bar, na mesma rua do Rai. Uma caipirinha! Que no cardápio com comidas somente em alfabeto russo está escrito assim mesmo: caipirinha. É feita com uma dose de cachaça 51 Export, limões cortados em cubos com a casca e açúcar cristal. Desceu muito bem e custou 400 rublos (US$ 13).

 

O Rolling Stone é um lugar bem menos excêntrico que o Rai. Tem dois pavimentos enormes, com janelões que dão vista para o Rio Moscova no andar de baixo e para o quixotesco monumento dedicado a Pedro I no de cima. Em cada andar há um balcão comprido, em cima dos quais nas noites de sexta e sábado, quando a casa lota, mulheres sobem e ficam dançando sem se preocupar com a visão íntima que os caras no chão têm delas.

 

Os espelhos do banheiro feminino no Soho Rooms ficam num mezanino, para que todos possam ver as mulheres se maquiando. Esse convite ao voyeurismo faz parte da aura hedonista que o lugar a 7 km da Praça Vermelha conseguiu criar. O Soho Rooms é um grande loft com telhados altos e sofás de couro, num ambiente requintado. Tem quatro “rooms”: um bar, um restaurante de dois andares, um club e um terraço, que fica coberto e aquecido no inverno e aberto no verão, quando lá trabalham massagistas para relaxar os clientes.

 

E o melhor de tudo é que você não paga nada para entrar. Isso se entrar, que fique claro. O Soho tem o mais rígido “face control” da Rússia. Olhar para cada pessoa na porta e decidir quem entra e quem não entra é uma tradição nos clubs de Moscou, elevada à última potência no Soho. 

#moscou
#moscou
#moscou

Outras dicas:

 

  • Peça taxi no seu hotel. É pior do que Nova Iorque em dia de chuva! Eles praticamente não existem. Fique atento, geralmente são imigrantes que dirigem os poucos que existem e comumente tentar "arrancar" mais algum trocados de você.

  • Passeio pelos parques. Moscou é cheio deles.

  • Passei pelo Rio Moscova de barco. Vale muito a pena.

  • Aeroporto Internacional Domodedovo (DME) fica ao sul do centro da cidade, equipado com as mais modernas tecnologias, é o maior da Rússia, utilizados para vôos internacionais, e com balcão de informações em inglês, felizmente!

  • A moeda é o Rublos e em média vale 38 Rublos para um US$ 1.